Mente Saudável

55

Por ocasião da campanha Janeiro Branco, Prefeitura de Hortolândia dá dicas e orientações para população ter mente saudável

O início do ano é um período de reflexão. Muitas pessoas fazem uma avaliação sobre como foi o ano anterior, e a partir daí definem resoluções e mudanças para o novo ciclo. Mas para conseguir concretizar sonhos e planos, o primeiro passo é estar com a mente sadia. A fim de marcar a campanha Janeiro Branco, a Prefeitura de Hortolândia dá dicas e orientações à população sobre saúde mental. O objetivo da campanha é conscientizar o público sobre a importância dos cuidados para o bem-estar mental.

A enfermeira do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) Vida, órgão da Secretaria de Saúde, Vanessa Faleiros, reforça que cuidar da saúde mental é importante para ter qualidade de vida. “Quando a pessoa está bem mentalmente, consegue organizar seus planos, metas e desejos. Ela é capaz de trabalhar, estudar, realizar as tarefas do dia a dia”, salienta a especialista.

Para ter saúde mental, uma primeira dica é praticar algum tipo de atividade física. “Pode ser também um hobby que a pessoa goste de fazer nas horas de folga. Enfim, uma atividade que a faça ocupar e entreter a mente”, recomenda Vanessa Faleiros.

Tão importante quanto ocupar a mente é descansá-la. Para isso, é necessário criar uma rotina de sono. “O ideal é que a pessoa procure dormir e acordar no mesmo horário. É importante que ela repouse em um ambiente silencioso, evite mexer no celular antes de dormir”, explica a enfermeira.

Outra ação que ajuda a ter saúde mental saudável é também estabelecer uma rotina de alimentação, com horários definidos para fazer as refeições ao longo do dia e à noite.

Ainda de acordo com a especialista, outra ação que beneficia a saúde mental é ter uma crença espiritual. “Isso auxilia bastante a pessoa a como lidar com o stress”, avalia a enfermeira.

SINAIS E SINTOMAS

A especialista alerta que não se deve negligenciar a saúde mental. “Se você perceber que não está bem do ponto de vista mental, tem que procurar ajuda. Existe ainda um estigma muito forte entre as pessoas de buscar ajuda quando elas sentem que estão com algum problema de saúde mental. Elas acham que não precisam procurar atendimento médico”, ressalta Vanessa Faleiros.

Por isso, as pessoas devem ficar atentas quando apresentarem algum sinal ou sintoma que, porventura, possam indicar algum problema ou doença mental. Dentre os principais sinais e sintomas elencados pela especialista estão dificuldade de dormir ou acordar, problemas de alimentação, tais como comer em excesso ou perda de apetite, ansiedade, tremedeira, agitação, irritabilidade com pequenas coisas, dor no peito ou dor generalizada, aumento de pressão, dentre outros.

“Outro sinal importante que as pessoas devem estar atentas é quando elas têm dificuldade de executar as tarefas diárias, tais como limpar a casa. Ou perdem o prazer de fazer as coisas que gostam. Ficam com aquela sensação de vazio, de inutilidade”, alerta a enfermeira.

A especialista reforça que, com o surgimento desses sinais ou sintomas, as pessoas devem procurar a UBS (Unidade Básica de Saúde) de referência ou mais próxima de onde mora. De acordo com a Secretaria de Saúde, as UBSs do município têm profissionais médicos especialistas em saúde mental, tais como psicólogo e psiquiatra. “Dependendo do caso, as UBSs conseguem fazer o tratamento e o acompanhamento do paciente”, destaca Vanessa Faleiros.

TRÊS CAPSs

Se o caso for de maior gravidade ou complexidade, a enfermeira ressalta que as UBSs encaminham os pacientes para as unidades especializadas em saúde mental. Essas unidades são os três CAPSs existentes no município: CAPS-AD (Álcool e Drogas), CAPS-IJ (InfantoJuvenil) e CAPS-Vida.

O CAPS-AD atende pacientes com transtornos mentais decorrentes do uso prejudicial de álcool e outras drogas, com o objetivo de estimular a integração social e familiar e apoiá-los em suas iniciativas de busca de autonomia. O atendimento é de porta aberta, sem a necessidade de agendamento. O órgão fica na rua João Frutuoso de Miranda Filho, 460, Parque Ortolândia.

Já o CAPS IJ atende pacientes, dentre crianças e adolescentes de até 18 anos, com transtornos mentais. O órgão está localizado na rua José Aparecido Marçal, 103, Parque Residencial Maria de Lourdes.

Pacientes maiores de idade com grave sofrimento psíquico são atendidos pelo CAPS-Vida. O órgão funciona ininterruptamente, ou seja, oferece hospitalidade integral 24h para pessoas em situação de crise já acompanhadas pelos serviços de saúde, diante de avaliação da necessidade pela equipe multiprofissional. O CAPS-Vida fica na rua João Cancian, 161, Parque Ortolândia.

Em razão da pandemia da COVID-19, a enfermeira Vanessa Faleiros salienta que a demanda pelos serviços públicos de saúde mental do município registrou aumento expressivo. “Há muitas pessoas com problemas de lidar com o luto por causa das perdas que tiveram provocadas pela COVID-19. Há casos de pessoas que perderam praticamente toda a família em virtude da pandemia”, alerta a especialista.

Fonte: DECOM Prefeitura Municipal de Hortolândia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui