Memórias de um povo

72

A memória forma e constitui um conjunto saberes de uma coletividade, no caso em específico, a proposta dos 40 anos no Jardim Amanda é documentar esse emaranhado de diferentes tipos de saberes construídos ao longo do crescimento e desenvolvimento do Jardim Amanda.

Na Segunda edição do Jornal Amanda publicado na edição bimestral março/abril de 2015 expõe quatro experiências dos moradores constituintes dessa coletividade.

Valéria Aparecida Augusto Silva chegou no Amanda em 1988. Descobriu o bairro através do programa de Rádio do Bambuzinho. O mineiro João Augusto de Freitas veio das Minas Gerais, da cidade de Governador Valadares de onde ouviu falar do loteamento. Chegou aqui em 1986. Seu Biza, Jose Cordeiro Filho de 82 anos comprou o terreno em 1985 por acaso quando partiu com um amigo do largo da Batata na cidade de São Paulo para uma visita ao loteamento, após seu amigo escutar no Programa do Zé Bétio sobre o empreendimento. Edson, conhecido no bairro como Edi Lú chegou no Amanda em 1990 após ter comprado seu lote em 1987. A exemplo de todos chegou no Bairro em que o contexto era precário em todos os aspectos. Viu o bairro crescer e desenvolver

Esses relatos são introduções que virão com mais detalhes através de vídeos, áudios e texto. Registrar essas memórias é reconhecer o protagonismo histórico, politico e social de cada morador no processo de crescimento desenvolvimento e conquistas obtidas no Jardim Amanda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui